NOTÍCIAS

Doença hepática canina, o que é?

Tudo que é absorvido pelo trato gastrointestinal cai na corrente sanguínea e é diretamente conduzido ao fígado. Lá ocorre toda a metabolização e transformação das substâncias absorvidas. Portanto, qualquer medicamento ou toxina que venha a ser ingerido pelo animal terá sua passagem por este órgão.

Isso significa que sem o trabalho metabólico do fígado, o corpo estaria sujeito a muito mais problemas de intoxicação, além da não sintetização de nutrientes fundamentais para manter o organismo funcionando! Por isso é importante ficar atento ao que seu animal consome, às doses de medicamentos que são administradas, e até mesmo aos animais peçonhentos que ele possa ter contato – manter a integridade deste órgão é essencial para a saúde do seu pet.

Doenças hepáticas

A gravidade de uma hepatopatia irá depender da evolução do caso, levando sempre em consideração se é aguda ou crônica.

Nas hepatopatias agudas, o contato com agente causador gera necrose maciça dos hepatócitos (principais células do fígado) em um curto espaço de tempo. As causas podem ser:

  • Infecciosas: vírus (adenovirus canino, peritonite infecciosa felina), bacteriana (leptospirose, salmonelose, septicemia), parasitária (toxoplasmose, dirofilaria);
  • Tóxicas: chumbinho, arsênico, produtos de limpeza e outros venenos;
  • Medicamentosas
  • Secundárias: pancreatite aguda, CID (coagulação intravascular disseminada), anemias hemolíticas, neoplasias primárias ou metastáticas (câncer).

Em todos os casos, ocorrerá uma ação direta nos hepatócitos, que sofrerão uma necrose celular. Embora o fígado conte com uma enorme capacidade de regeneração de suas células, em muitos casos ele não consegue regenerar-se a tempo.

Nas hepatopatias crônicas o paciente já se encontra com uma enfermidade hepática prévia, ocasionando perda gradual da função dos hepatócitos. Geralmente nesse casos é irreversível, evoluindo à uma insuficiência hepática.

É importante entender que um caso agudo não tratado poderá ter evolução crônica, resultando em insuficiência hepática permanente (cirrose), ou seja, perda da estrutura e função hepática.

Quais os principais sintomas de uma doença hepática?

Embora em alguns casos agudos não haja sinais tão evidentes, os animais apresentam quadros ictéricos (mucosas amareladas, como olhos e gengiva), enjoos, vômitos e mal estar geral. Para identificar maiores lesões, exames laboratoriais são necessários para fornecer informações a respeito da saúde do fígado e de infecções e seus agentes causadores, direcionando para um diagnóstico mais preciso.

Quanto aos casos crônicos, em sua maioria os primeiros sinais são gastrointestinais, como anorexia, vômitos e diarreia. Com o dano progressivo de hepatócitos, identificamos aumento de volume abdominal (ascite), sinais intensos de icterícia, disfunções no processo de coagulação, e alterações neurológicas.

Somente o médico veterinário poderá avaliar o quadro clínico do animal e, juntamente com métodos complementares, estabelecer um diagnóstico e seu devido tratamento.

Uso de hepatoprotetores na medicina veterinária

O tratamento das doenças hepáticas dependerá do fator primário identificado previamente pelo médico veterinário, porém é possível recorrer em paralelo a suplementos que auxiliem na recuperação do animal.

O uso de hepatoprotetores já é uma realidade na medicina veterinária, e traz grandes benefícios aos animais que necessitam de um suporte terapêutico em casos de intoxicação, convalescência, ou quando a função hepática é ameaçada pelo uso de medicamentos tóxicos ao fígado. Sua principal função é de proteger os hepatócitos contra agentes nocivos, oferecendo um auxilio ao metabolismo hepático.

A Silimarina é um componente natural bastante utilizado pela medicina humana e veterinária, e com reconhecida função anti-hepatotóxica. Sua ação direta na parede celular dos hepatócitos dificulta a penetração de agentes nocivos nas células hepáticas. Possui ainda ação antioxidante, colagoga e colerética (facilita a digestão de gorduras), antialérgica e estimulante do sistema circulatório.

O Vitasil Hep é o suplemento produzido pela Vansil Saúde Animal com alta concentração de Silimarina. Sua composição conta ainda com vitaminas essenciais para o funcionamento sadio do fígado. Está disponível no mercado em forma líquida e comprimido à venda nos petshops e grandes mercados pet.

 

  • Alta concentração de Silimarina – maior ação hepatoprotetora
  • Fácil utilização – comprimidos altamente palatáveis e de fácil administração
  • Produto com qualidade farmacêutica desenvolvido exclusivamente para o mercado veterinário
  • Excelente custo beneficio
  • Vitaminas do complexo B – ajudam a manter o fígado saudável, agindo no metabolismo da glicose e nas moléculas glutationa e cisteína
  • Vitamina C – ação antioxidante
  • Vitamina K – essencial para a síntese de protrombina, proteína fundamental para coagulação sanguínea
  • Qualidade Vansil Saúde Animal

Referências:

http://pharmakondf.com.br/Pharmakon/arquivos/INSUMOS_FARMACEUTICOS/S/Silimarina.pdf

http://dpd.fvet.uba.ar/cartelera/00014500.pdf