+55 (19) 3593-9999 | sac@vansil.com.br

Fabricante de medicamentos para animais

Mastite bovina: quais são os sintomas e o tratamento

Mastite bovina: quais são os sintomas e o tratamento

16/05/2016 em Blog, Pecuária

Mastite bovina: quais são os sintomas e o tratamento

Em uma produção animal a preocupação com a sanidade do rebanho deve estar sempre em pauta. O comprometimento com a qualidade dos produtos de origem animal, e os impactos econômicos gerados por doenças são fatores de importância na rotina dos pecuaristas.

A mastite bovina é um processo inflamatório que atinge a glândula mamária das vacas, de caráter contagioso e de fácil transmissão, cuja prevalência está relacionada a fatores ambientais e o manejo das vacas. A mastite pode se manifestar de duas maneiras:

Mastite clínica: presença de sintomas inflamatórios no úbere e tetas, e alterações visíveis no leite (menor volume secretado, grumos, pus ou aspecto aquoso). As vacas podem ainda apresenta febre, perda de apetite, queda de produção, e morte em casos mais graves.

Mastite subclínica: ausência de sintomas de inflamação ou de alterações visíveis no leite, porém com queda de produção e aumento de células somáticas (portanto apenas diagnosticada através do CMT – California Mastitis Test).

Prevenção e controle

A prevenção, principalmente através do correto treinamento da equipe de ordenha, é a melhor forma de manter o rebanho sadio. A mastite subclínica, embora com ausência de sintomas, revela uma fonte de infecção que muitas vezes passa despercebida. Por isso, criar uma rotina de cuidados básicos e de higiene no período de ordenha diminui a incidência da doença no rebanho.

A utilização do pré e pós-dipping (desinfecção dos tetos antes/depois da ordenha) é um método de prevenção que deve fazer parte da rotina das vacas leiteiras.  A correta higiene do local de ordenha, bem como dos utensílios e equipamentos, diminui os riscos de contaminação do leite.

Realizar o teste da caneca de fundo escuro antes de cada ordenha auxilia na detecção de mastite clínica. Lembrando que a existência de vacas apresentando mastite clínica é um indicativo de possíveis casos de mastite subclínica no rebanho. Por isso a importância de se manter as boas práticas de manejo, e sempre realizar teste da caneca de fundo escuro.

Ubrecilin

Além da higiene, algum produtos específicos podem ajudar muito no controle dessa doença. É o caso do Ubrecilin, um antibiótico a base de uma associação de Sulfato de Neomicina com Cloxacilina Sódica, produzido pela Vansil Saúde Animal. De aplicação intramamária, o Ubrecilin previne e trata mastites causadas por agentes etiológicos gram-positivos e gram-negativos responsáveis pela maioria dos casos da doença.

A aplicação deve ser após o esgotamento total do quarto mamário afetado, introduzindo pelo orifício do teto correspondente. Nos casos de mastite subclínica no rebanho, recomenda-se o tratamento das vacas durante o período seco, época em que a glândula mamária está em recuperação para a próxima lactação.

Ubrecilin contém também em sua fórmula o potente anti-inflamatório Prednisolona, que vai auxiliar a reduzir a inflamação e a dor no local, facilitando muito o tratamento.